Campos do Jordão – o que conseguimos fazer num “bate e volta”

Campos do Jordão – o que conseguimos fazer num “bate e volta”

Logo no começo do outono, eu e o marido decidimos finalmente conhecer Campos do Jordão. Finalmente por que a cidade não fica muito longe de nós e por ela ser bem visitada por quem mora em SP e Grande SP, principalmente em outono/inverno.

Na verdade acabamos indo duas vezes.

Primeiro fizemos uma viagem tradicional: escolhemos pousada para passar 3 dias e fizemos uma lista do que gostaríamos de fazer e visitar. Sinceramente, queríamos descansar, então nosso roteiro de passeio ficou bem curto e optamos mais por escolher bons lugares para comer e uma boa pousada. Depois fizemos o “bate e volta” com um casal de amigos.

Vou começar falando da primeira viagem, a tradicional.

ONDE FICAMOS:

Como sempre, usei o TripAdvisor para escolher a pousada. Vocês não tem noção o quanto eu pesquiso! Desta vez optamos pela Pousada da Pedra. Nós gostamos bastante! Fica um pouco mais distante da badalada Capivari (o bairro mais agitado e famoso de Campos), mas para nós isso na verdade não é nenhum problema. Até preferimos. O atendimento foi ótimo  desde os primeiros e-mails com dúvidas até o check out. A pousada é grande e bem aconchegante e há vários lugares para descansarmos, tomarmos um vinho…

No quarto, tudo estava bem limpinho e cheiroso e assim que chegamos já tomamos um belo e delicioso café da tarde que eles também servem (que tinha até espumante!) . O café da manhã é igualmente maravilhoso! Eu amo café da manhã de pousada/hotel, e o deles estava demais, com vários opções e bem farto.

Apenas dois pontos não me agradaram muito. Optamos por um quarto que fica afastado da recepção, mas que infelizmente ficava mais perto da estrada ao lado, logo, era dia e noite o barulho de carro. Depois que fiquei em Cunha e Monte Verde, e conheci o que era silencio de verdade, os barulhos dos carros de lá não foram agradáveis. Outro ponto era o barulho do sistema hidráulico que às vezes fazia. É claro que esses não chegam a ser problemas, só esperava o mesmo silencio das viagens anteriores.

opinião pousada pedra campos do jordão (4) opinião pousada pedra campos do jordão (3) opinião pousada pedra campos do jordão (2) opinião pousada pedra campos do jordão (1)

No Instagram:

Relaxar 😌 #peace #sundaymorning #friozinho

A post shared by Aline Spera (@alinespera) on

 

ONDE FOMOS:

Chocolates Araucária: Frio, combina com chocolate quente né. Escolhemos ir no Chocolates Araucária em Capivari. Infelizmente não visitamos a fábrica, mas ela com certeza entrará no nosso roteiro da próxima vez. Existem várias lojas que fazem chocolate, mas com certeza o custo X benefício do Araucária é muito bom. Nós sabemos que chocolate bom não é barato, só que as lojas também amam superfaturar em alta temporada. Portanto fiquem de olho, tem chocolate “meia boca” com preço de ouro.

Restaurante Dona Chica: Mais uma vez, pelas referências do TripAdvisor, escolhemos almoçar no restaurante Dona Chica. Ele fica no Horto Florestal de Campos do Jordão e realmente é requisitado. Tinha uma lista de espera (mas não demorou muito para chamarmos). Tem até um espaço para esperarmos a nossa vez. Bem bacana. Ele fica em meio a mata, então se já estiver frio na cidade, capriche ainda mais nas blusas se for para lá. Passei um pouco de frio, mas na área da refeição é mais quentinho. Fomos domingo, então estava mais cheio, logo o atendimento foi um pouco mais demorado, o que chega a ser  normal. A comida realmente é bem saborosa e não fica muito caro. Eles incentivam tanto o não uso do celular e wi-fi (lá não tem) para aproveitarmos a companhia e a natureza que acabei não fotografando nada de lá. blogueira #fail.

Horto Florestal Campos do Jordão: Diretamente ele não estava no roteiro, a principio só fomos lá pelo restaurante, mas ele vale estar na lista por que é lindo! E bem frio também! Nele você pode fazer trilhas, tem espaço para pic nics e várias outras opções.  A única foto que tirei no horta postei no Instagram:

🍂🍁🍂🍁☃ #temsol #mastafriodemais #sunset

A post shared by Aline Spera (@alinespera) on

Restaurante Rostie: Outra surpresa.  A gastronomia de Campos é bem ampla. São tantos restaurantes que fiquei até perdida. Nem o TripAdvisor me ajudou nessa 🙁 Como queria comer fondue, fiquei sem saber onde ir direito. E foi na recepção da pousada que nos recomendaram o Rostie. E com a promessa de ter um bom fondue e bons vinhos por preços mais justos, fomos conhecer. E que delícia de lugar. O espaço não é muito grande, mas o atendimento, o ambiente aconchegante a meia luz, os fondues bons (PAUSA DRAMÁTICA PARA DESTACAR A DELÍCIA QUE É O FONDUE DE QUEIJO ♥ o melhor) com preço bacana valem a pena! A noite foi bem agradável. Essa foto ai de baixo foi tirada lá:

 

[ –  Enfim, como foi nosso “bate e volta”… – ]

Então, depois de passar 3 dias em Campos, descansando, fomos novamente para um bate e volta, sem pretensão nenhuma, apenas de curtimos a cidade e a companhia de amigos.

Foi em um sábado de manhã que começamos a aventura. Eram cerca de 8h da manhã quando começamos a viagem.  Pelo Waze, o tempo de viagem seria de 3 horas, mas acabou demorando mais um pouco, afinal, no meio do caminho passamos naquelas paradas de estrada tipo “rancho da pamonha”. Paramos, comemos, conversamos… uma delícia! Estávamos mesmo aproveitando a viagem de uma forma leve…

No nosso roteiro, tínhamos incluído:

  • Almoço em Capivari:

Quando chegamos a fome já estava pegando! Como fomos num final de semana de feriado, o transito até chegar em Capivari estava intenso. Estávamos com o Waze e ele nos deu caminhos alternativos. No final, até que foi legal, afinal conhecemos vários bairros, vimos várias casas bacanas, hotéis/pousadas, restaurantes…foi como se estivéssemos fazendo o tradicional city tour. Logo depois de rolê todo, a fome matadora foi inevitável. Praticamente, o primeiro restaurante que vimos fomos entrando e assim escolhemos o  Panela de Ferro Trattoria, que fica bem no centro de Capivari mesmo. Optamos por buffet e claro aproveitamos muito. Saímos bem fartos. A comida estava muito boa, e ainda tinha música ao vivo!

  • Baden Baden #fail

A cervejaria Baden Baden estava no nosso roteiro. Queríamos fazer o tour pela famosa cervejaria, mas infelizmente não conseguimos agendar devido a grande procura no feriado 🙁

E fica dica: se você quiser conhecer lá também, agende antes da viagem! Como fomos para Campos meio de última hora, não deu tempo de ver estes detalhes.

  • Teleférico e Morro do Elefante:

Logo depois da decepção da Baden Baden, decidimos ir no teleférico. Bateu aquele medo, claro, mas foi bem divertido! Só de ficar ali na fila foi demais! E ia cada vez ficando mais emocionante ao passo que se aproximava nossa vez…

Minha dica é: Andem de teleférico. Eu sou medrosa e consegui, então você também consegue! Outra dica: o clima já estava frio lá em baixo, mas a medida que você for subindo o frio aumenta mais!!! Quero dizer com isso que vocês devem estar bem agasalhados de verdade.

A vista vai ficando mais bonita enquanto você sobe, e no final estará no Morro de Elefante. Lá de cima você consegue ter uma super visão de Campos, vale a pena o medo todo haha.

morroelefante

Meu herói ❤️ #morrodoelefante

A post shared by Aline Spera (@alinespera) on

Lá tem uns painéis como esse, que é legal para tirar fotos e tals, mas é só. A subida vale pela emoção e pela vista!

  • Tomar chocolate quente do Chocolates Araucária:

Depois da emoção, nada como tomar um chocolate quente no final da tarde né. E como já deles lá no começo do post vamos para o próximo.

  • Passeio pela noite badalada Capivari:

É claro que tínhamos que dar uma volta pela Capivari. Aquilo tava parecendo tava lotado! O centrinho é pequeno, mas vale pra você conhecer as lojas, os restaurantes…ver gente sabe…

IMG_2168

  • Rodízio de Fondue:

Demos a sugestão do Rostie para os amigos e eles toparam! Outra noite agradável demais…e então fechamos a noite, e o dia em Campos.

Eu amei o passeio! Já quero voltar só para comer Fondue hahaha

Se vocês tem mais dicas de Campos, deixem ai nos comentários, quem sabe não tem outro bate e volta pra lá 😉

Nossa viagem para Cunha/SP

Nossa viagem para Cunha/SP

Para descansarmos um pouquinho, aproveitamos um feriado prolongado e escolhemos um lugar mais perto para passarmos dias tranquilos. Escolhi Cunha, uma cidade a 250 Km de São Paulo, para esses dias de paz.

Achei Cunha por acaso, vi num post aleatório de um blog sobre decoração fui pesquisar mais e achei o lugar perfeito.

Vou contar um pouco como foi… e eu nem sei por onde começar…

ONDE FICAMOS

Sei sim, a pousada que escolhi para ficarmos 🙂

Escolhi a Quinta da Serra, uma pousada ma-ra-vi-lho-sa! Poderia escrever  um texto enorme sobre ela, mas vou tentar resumir. A pousada é super privativa, eles só hospedam casais e há apenas 4 chalés lindos. Isso torna a recepção bem individualizada. E que recepção! Eu e meu marido fomos recebidos pela dona da pousada, a Lana, que faz questão de chamar cada hóspede pelo nome e que já no check in nos passou  um monte de dicas bacanas e nos lembrou: “descansem, relaxem e esqueçam a loucura de SP”. Acho que nunca fiquei num lugar tão quieto e calmo e com uma vista tão linda! De dia a vista das montanhas e os pássaros, a noite, um céu de ficar de boca a berta de tão estrelado! Depois conhecemos o Ricardo, marido da Lana, que nos recepcionou de maneira igualmente maravilhosa. O café da manhã (já incluso na diária) e o jantar são feitos por eles e além disso, grande parte das frutas e verduras usadas na alimentação são retiradas do pomar orgânico da pousada. POUSADA QUINTA DA SERRA (2) POUSADA QUINTA DA SERRA (1)

As fotos foram tiradas da sacada do nosso chalé.

Acesse o site da pousada para mais fotos e informações: AQUI

O que fazer?

PICO DA MACELA

O Pico da Macela fica a 1846m de altitude e depois de 2km de caminhada por uma subida, minhas pernas tremeram ao ver a paisagem! É uma vista deslumbrante! posso colocar um ponto de exclamação a cada palavra sobre o Pico da Macela?  Leve água e chapéu que a subida é longa, mas vale cada passo! Ao subir, você tem uma visão de 360° da Serra da Mantiqueira e ainda consegue ver a baía de Angra dos Reis, Paraty e Ilha Grande. É claro que também somos reféns do clima, pois se o dia estiver nublado você não conseguirá ver nada 🙁

Ficamos muuuuuito felizes por conseguirmos ver tudo! 😀

PEDRA DA MACELA (4) PEDRA DA MACELA (3) PEDRA DA MACELA (2) PEDRA DA MACELA (1)

CONTEMPLÁRIO

Uma linda plantação de lavanda e outras plantas aromáticas. E como o nome sugere, há alguns pontos para você contemplar as plantações, super cheirosas e charmosas. No local também há um também charmoso café e a lojinha com produtos feitos com a essência produzida no laboratório próprio (que os visitantes conseguem ver). Eles abrem de sexta a domingo e feriados, das 10h até o pôr do sol, que eu não fiquei para ver, mas dizem que é demais!

COMTEMPLÁRIO CUNHA SP (1)

COMTEMPLÁRIO CUNHA SP (3) COMTEMPLÁRIO CUNHA SP (2)

Oh lugar cheiroso!

CERVEJARIA WOLKENBURG

Fomos na cervejaria alemã bem no final de semana na Oktoberfest. Por isso, infelizmente eles não estavam apresentando a cervejaria e o processo de fabricação das cervejas como de costume 🙁

Experimentamos as cervejas é claro, e aproveitamos para comer algumas comidinhas alemãs, como o apfelstrudel e o pretzel.

Cervejaria WolkenburG (1) Cervejaria WolkenburG (2)

Estradinha para a cervejaria, que fica mais escondidinha.

FAZENDA ARACATU

Na lojinha da fazenda você encontra vários doces, geleias, mel, defumados, shiitake, produzidos por vários pequenos produtores da região. A Fazenda é famosa pelos seus pinhões e produtos com esse ingrediente como o bolo e também pelos sorvetes produzidos com o leite das vaquinhas Jersey (raça conhecida pela produção de leite de valor nutritivo superior as demais raças, pois contém 20% a mais de proteína, 15% a mais de cálcio, mais vitamina A e B12.).

Olha, eu destaco bastante os sorvetes que são produzidos lá, que são deliciosos demais! Nós podemos experimentar vários, mas meus preferidos foram de tamarindo e doce de leite, e pausa dramática para falar que o de doce de leite foi o melhor sorvete que já tomei na vida!!!!!!! Repeti várias vezes abafa 

FAZENDA ARACATU CUNHA SP (2) FAZENDA ARACATU CUNHA SP (3) FAZENDA ARACATU CUNHA SP (1)

Nem tirei foto do sorvete, só da taça vazia hehe

CACHOEIRA DO PIMENTA

É uma das  mais visitadas de Cunha e ficava praticamente do lado da nossa pousada, para ter uma ideia, nós a escutávamos do nosso chalé a noite (ai que saudade!). Ela é bem grande e bonita também, mas gente, depois que vi as cachoeiras de Bonito no Mato Grosso do Sul, as cachoeiras que conheci depois não conseguiram me impressionar muito :/CACHOEIRA DO PIMENTA CUNHA SP

Todos esses lugares nós conseguimos ver em 2 dias com a ajuda do mapa que ganhamos na pousada. Tudo fica praticamente na Rodovia Cunha-Paraty.

Na volta para a realidade, decidimos retornar por Paraty e conhecer algumas praias do litoral norte de SP que não conhecíamos, só lamentamos pelo tempo chuvoso que estava 🙁

Outras curiosidades de Cunha:

Cunha é um dos 12 municípios paulistas considerados estâncias climáticas pelo Estado de São Paulo, por cumprirem determinados pré-requisitos definidos por Lei Estadual. Tal status garante a esses municípios uma verba maior por parte do Estado para a promoção do turismo regional. Também, o município adquire o direito de agregar junto a seu nome o título de Estância Climática, termo pelo qual passa a ser designado tanto pelo expediente municipal oficial quanto pelas referências estaduais.

É a maior produtora de pinhão do estado de São Paulo. O município de Cunha também concentra a maior frota de fuscas do Brasil.

A cerâmica é uma atividade de crescente importância em Cunha. Ela existe desde que a região era ocupada pelos índios da etnia dos tamoios. Esta atividade foi continuada pelas paneleiras que produziam peças utilitárias com técnica rudimentar, queimadas em forno de barranco.

Enfim, eu recomendo bastante se você quer descansar, ver lindas paisagens e comer comida boa!

Natal/RN

Passando pelo frio que estamos agora e olhando essas fotos eu me pergunto ” Por que eu não estou lá?”. Vocês já devem ter visto aqui ( e se não viram, vejam!) que em Natal em média há 300 dias de sol! E não é esse calor estranho de SP que arde a pele que é uma beleza, mas sim um calor gostoso e com ventinho pra refrescar, fora as paisagens lindas em todos os lugares. Quando fomos para lá, como qualquer turista, tiramos centenas de fotos. Aos poucos vou colocando aqui para lembrar que um dia estive nesse paraíso com sol e praia…Para você que talvez queira passear por lá fica um aperitivo…

Ficamos em um Hotel em frente a essa praia – Ótima escolha

Miami é logo aqui!

E vai ter mais!

Natal/RN – PARTE A

Visão Geral

Natal é uma cidade linda e cheia história. Quando escolhemos esta cidade para plano de fundo da nossa lua de mel, imaginei uma cidade com praias divinas, clima aconchegante e tranqüilidade. E realmente Natal é assim. Mas descobri que ela também é uma cidade histórica e cheia de pontos turísticos. Eu amo pisar em solo que tem alguma história para contar e em Natal cada rua tem a sua história. Aos poucos colocarei aqui os muitos enredos (e são muitos). Por hora, vai alguns dados interessante da Cidade:

Natal –  2° destino mais visitado do Nordeste, tanto por turistas brasileiros (principalmente paulistas) quanto por estrangeiros, com um volume de 2.500.000 visitantes por ano.

 Clima – Tropical. Tem em média 300 dias de sol durante o ano. (que delícia!) Lá não tem tempo ruim, literalmente. Tem média anual de 28 ºC

 Segurança – Natal é a capital mais segura do Brasil para se morar, segundo pesquisa do IPEA em Junho/2005.

 Olha que máximo: Natal, devido à sua localização, tem o ar mais puro das Américas e o 2° melhor do mundo segundo a NASA.

 Fonte: Natal Guia (na internet)